Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


http://8.fotos.web.sapo.io/i/o89011388/20054534_oE68m.jpeg

MOSTEIRO DE ARNOSO / STA. EULÁLIA
18 NOVEMBRO 2016
// 21h30 . entrada gratuita

FAT FREDDY
A cooperativa criativa Fat Freddy nasceu em 1998 com Pedro Guedes e Xinas Leite que decidem desenvolver uma banda que tem na criatividade a base de todo um longo e frutuoso percurso discográfico e de estrada.
3 Álbuns e 1000 concertos depois, contam com o violoncelista Ricardo Januário na criação de ambientes enigmáticos, mas simultaneamente realistas. A pulsão rítmica do baixo e violoncelo dão coração a todo o conjunto, que é colorido pela guitarra, teclados e demais electrónica por cenários que têm tanto de real, como de negritude! Com 18 anos de percurso, a matriz rock que sempre caracterizou os Fat Freddy mantém-se, tal como toda a vertente exploratória e experimentalista. Bem-vindos ao mundo Fat Freddy!

 
www.facebook.com/fatfreddy.pt
www.binnar.org
www.facebook.com/binnar.org
 
 

Autoria e outros dados (tags, etc)

MFF

2015 » 27 JUNHO / TERTÚLIA CASTELENSE / MAIA
Adivinha-se uma grande noite que junta os Malcontent e os Fat Freddy. Ambas as bandas têm novos trabalhos discográficos, os quais vão apresentar ao vivo.
 
MALCONTENT
RIOT SOUND EFFECTS
Os malcontent são Filipe Pereira (bateria e percussão), Jorge Oliveira (baixo e distorção) e Sérgio Costa (guitarra e voz). /// “Riot Sound Effects” é o nome do segundo disco dos malcontent. Sucede a “Love the Gun” (2009) e aos ep’s “Erased” (2012) e “Riot ep” (2014). // “Riot Sound Effects” assume-se como um disco único em Portugal. A mistura de ruído com melodia remete a banda portuense para um universo onde apenas William S. Burroughs e Jack Kerouac permitem a entrada.  // O álbum é constituído por 9 temas. São 35 minutos de rock’n’roll com volume no máximo, pedais de distorção emocionalmente ligados ao delays e reverbs... numa sonoplastia abrangente que permite uma entrada livre a todos os amantes do som e uma saída caótica aos ouvintes mais sensíveis. 
 
FAT FREDDY
ATIREM O MEU CADÁVER PARA UMA VALETA
Atirem o meu Cadáver para uma Valeta traz de volta aos discos, em 2015, os FAT FREDDY, num registo em que a palavra emerge como principal novidade. A matriz rock que caracteriza a banda portuense desde 1998 está lá, tal como toda a vertente exploratória e experimentalista em que a narrativa de vida que dá corpo ao álbum é apresentada em quatro actos de afiados contornos sonoros e delico-doces experimentações sensitivas!...
Entre a quase morte e a euforia alinhada, um ser grita a sua existência, enquanto vagueia por estreitos caminhos, perdidos nas largas avenidas da vida. Ambientes enigmáticos, de tão realistas, ganham força na pulsão rítmica do baixo e nas pinceladas cinzas e singelas da guitarra, dos teclados e da electrónica. Pela palavra sucedem-se os cenários que têm tanto de real, como de negritude imaginária! Depois de «Fanfarras de Ópio» (Música Activa - 2003) e «Sem Nome» (Cobra - 2006), os Fat Freddy arrancam em definitivo em busca da valeta perfeita. 
 
www.facebook.com/fatfreddy.pt
www.facebook.com/malcontentofficial
 

Autoria e outros dados (tags, etc)

www.fatfreddy.bandcamp.com
www.honeysound.com

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

2015 » 12 ABRIL / CHARENTON - CLUB CULTURA - VIGO

Os Fat Freddy têm novo disco. O primeiro concerto de apresentação é em Vigo, como convidados especiais na inauguração do novo espaço Charenton - Club Cultura.

"Atirem o meu Cadáver para uma Valeta traz de volta aos discos, em 2015, os FAT FREDDY, num registo em que a palavra emerge como principal novidade. A matriz rock que caracteriza a banda portuense desde 1998 está lá, tal como toda a vertente exploratória e experimentalista em que a narrativa de vida que dá corpo ao álbum é apresentada em quatro actos de afiados contornos sonoros e delico-doces experimentações sensitivas!...
Entre a quase morte e a euforia alinhada, um ser grita a sua existência, enquanto vagueia por estreitos caminhos, perdidos nas largas avenidas da vida. Ambientes enigmáticos, de tão realistas, ganham força na pulsão rítmica do baixo e nas pinceladas cinzas e singelas da guitarra, dos teclados e da electrónica. Pela palavra sucedem-se os cenários que têm tanto de real, como de negritude imaginária!"

www.facebook.com/fatfreddy.pt 
www.fatfreddy.bandcamp.com

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Atirem o meu Cadáver para uma Valeta traz de volta aos discos, em 2015, os FAT FREDDY, num registo em que a palavra emerge como principal novidade. A matriz rock que caracteriza a banda portuense desde 1998 está lá, tal como toda a vertente exploratória e experimentalista em que a narrativa de vida que dá corpo ao álbum é apresentada em quatro actos de afiados contornos sonoros e delico-doces experimentações sensitivas!...
Entre a quase morte e a euforia alinhada, um ser grita a sua existência, enquanto vagueia por estreitos caminhos, perdidos nas largas avenidas da vida. Ambientes enigmáticos, de tão realistas, ganham força na pulsão rítmica do baixo e nas pinceladas cinzas e singelas da guitarra, dos teclados e da electrónica. Pela palavra sucedem-se os cenários que têm tanto de real, como de negritude imaginária! Depois de «Fanfarras de Ópio» (Música Activa - 2003) e «Sem Nome» (Cobra - 2006), os Fat Freddy arrancam em definitivo em busca da valeta perfeita.
 
Os Fat Freddy são: Pedro Guedes Ferreira (guitarra, teclados e drum machines), Chinas Leite (baixo e voz) e Pedro Espada (voz e letras). «Atirem o meu Cadáver para uma Valeta» é o terceiro álbum da banda, é editado pela Honeysound e está disponível para compra em formato digital. Em breve, teremos uma edição física limitada, em formato CD.

< DOWNLOAD >
 

VÍDEO DE APRESENTAÇÃO

www.facebook.com/fatfreddy.pt
www.honeysound.com

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

modafockin
HONEYSOUND MODAFOCKIN PARTY
no CaNhoto, travessa de cedofeita 60-62, Porto
6ª feira, 24 de Outubro de 2014

Coelho Radioactivo - 22.30
Ratere - 23.30
Honeysound + Fat Freddy (Pepito) DJ SET - 00.30
entrada - 3€
lotação dos concertos limitada a 60 pessoas

Coelho Radioactivo
O Coelho Radioactivo faz suas, as suas canções. Espera que a inspiração venha e depois pede-lhe para ficar um bocadinho... porque saber-se exactamente o que se quer, nem sempre é uma qualidade. As suas canções, as que não podiam ser de mais ninguém, são canções feitas de noite, para terem o peso dos dias. E gravadas de manhã, para terem a frescura da noite.
-------------
RATERE
Os Ratere nasceram em 2011 e com apenas um intuito… curtir! A ideia era simples: dois baixos e uma bateria, algo que foi totalmente desvirtuado devido a existirem mais instrumentos na sala de ensaio. Em 2014 reuniu-se alguns temas gravados de um já longínquo ensaio e o inevitável convite de velhos amigos. Juntou-se assim, mais uma guitarra, voz e teclados. O resultado final está aí para ouvirem e chama-se 'Super Power Satellite'.
 
www.ratere.bandcamp.com
www.coelhoradioactivo.bandcamp.com
www.fatfreddy.bandcamp.com
www.honeysound.com

 

Autoria e outros dados (tags, etc)


Club de Vila Real convida:

Sábado, Dia 12 de Julho de 2014
Concerto ao vivo - Salão Nobre pelas 23:00
FAT FREDDY
(Exploratory Music & Film - Porto)

"Dando continuidade à génese diversa que caracteriza a sua obra desde 1998, os Fat Freddy entram numa nova fase da sua… sobrevida. 'Atirem o meu Cadáver para uma Valeta' é o nome do terceiro álbum, que traz como grande novidade ao trabalho da banda a palavra. A matriz rock que sempre caracterizou os Fat Freddy mantém-se, tal como toda a vertente exploratória e experimentalista. Os ambientes enigmáticos, mas simultaneamente realistas, têm tradução musical na pulsão rítmica do baixo e bateria, que dão coração a todo o conjunto, que é colorido pela guitarra, teclados e demais electrónica, em que a palavra dita emerge como guia na viagem por cenários que têm tanto de real, como de negritude!"

 

www.facebook.com/fatfreddy.pt
www.fatfreddy.bandcamp.com
www.facebook.com/CLUBVR

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Festival Souto Rock 2014

PROGRAMAÇÃO

Quinta-Feira 10 de Julho - 21:30 | Warm Up
Largo do Apoio - Barcelos

- "Ao Largo do Souto" (documentário)
- RATERE
- Honeysound Soundsystem

Sexta-feira 11 de Julho - 21:30 | Noite honeysound
Largo do Apoio - Barcelos

- Cró!
- Fat Freddy
- Okkur
- Honeysound Soundsystem + Satanic Bloody Pussy

Sábado 12 de Julho - 21:30
Largo do Souto - Roriz
 
- DAPUNKSPORTIF
- peixe : avião
- GUERRERA
- Solar Corona
- ToFu Dj Set | Lovers & Lollypops Soundsystem

 

 

NOTÍCIAS RELACIONADAS COM A 10ª EDIÇÃO

> O Jornal de Barcelos vai lançar uma revista comemorativa do 10.º Souto Rock que será distribuída gratuitamente com a edição da semana que vai para as bancas a 2 de Julho. A iniciativa é fruto de uma parceria com a Brandit, empresa de Barcelos, da qual resultará ainda o lançamento de uma compilação com 14 bandas de Barcelos que passaram ou ainda vão passar pelo festival.
> No primeiro dia vamos projectar o documentário "Ao Largo do Souto".

 

www.soutorock.pt.to
www.facebook.com/soutorock

 

Autoria e outros dados (tags, etc)


2014 » 21 JUNHO / PASSOS MANUEL / PORTO
 
THE PARTISAN SEED

"Depois de três álbuns e vários concertos dentro e fora de Portugal, The Partisan Seed lança em Maio de 2014 um novo disco intitulado ‘Angels On The Boardwalk’. Ao quarto álbum de longa-duração já não há muito para dizer sobre The Partisan Seed, o melhor é mesmo sentir. Este ‘Angels On The Boardwalk’ é um abraço renovado aos que acompanham Filipe Miranda neste trilho, ao mesmo tempo que dá as boas-vindas aos novos ouvintes, de braços abertos." Depois de alguns anos, o regresso ao Passos Manuel, desta vez em formato banda. 
www.thepartisanseed.net

FAT FREDDY
"Dando continuidade à génese diversa que caracteriza a sua obra desde 1998, os Fat Freddy entram numa nova fase da sua… sobrevida. 'Atirem o meu Cadáver para uma Valeta' é o nome do terceiro álbum, a sair brevemente, que traz como grande novidade ao trabalho da banda a palavra. A matriz rock que sempre caracterizou os Fat Freddy mantém-se, tal como toda a vertente exploratória e experimentalista. Os ambientes enigmáticos, mas simultaneamente realistas, têm tradução musical na pulsão rítmica do baixo e bateria, que dão coração a todo o conjunto, que é colorido pela guitarra, teclados e demais electrónica, em que a palavra dita emerge como guia na viagem por cenários que têm tanto de real, como de negritude!"
www.facebook.com/fatfreddy.pt

Info / bilheteira
www.passosmanuel.net
 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Os Fat Freddy na estrada. Relembramos que podem ouvir e fazer download de "Morte Gélida em Fernandes Tomás".
"Projecto cunhado por Pedro Guedes Ferreira no início do século, os Fat Freddy ressurgem em 2013 com o EP ‘Atirem o meu cadáver para uma valeta’. Se, em ‘Álbum sem nome’ (editado em 2006 pela Cobra Discos) o cruzamento ‘over-the-top’ entre uma pulsão de matriz funk-rock, detalhes dançáveis e uma via quase barroca de pontuações electrónicas, nos oferecia uma música paradoxalmente negra e celebratória, introspectiva mas direccionada ao corpo, o single de avanço para o novo trabalho, ‘Morte Gélida em Fernandes Tomás’ mostra todo um diferente quadro de referências; com uma contenção quase épica, ao longo de quase 10 minutos, o novo mundo dos Fat Freddy, exposto através das palavras escritas e vocalizadas por Pedro Espada, é revelado como uma tela soturna que se lentamente se expande e se abre em erupções que evocam um improvável cruzamento entre os Mão Morta e os Pink Floyd. Uma surpresa a descobrir." - Rescaldo

 

www.fatfreddy.bandcamp.com
 

Autoria e outros dados (tags, etc)


Os Fat Freddy têm novo vídeo. Desta vez, escolheram partilhar "Morte gélida em Fernandes Tomás" reinterpretado por Ghuna X, a partir do tema original já lançado anteriormente pela Honeysound. Podem também fazer download aqui > FAT FREDDY

www.fatfreddy.bandcamp.com
www.facebook.com/fatfreddy.pt
www.ghunax.com
 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Uma reinterpretação do tema 'Morte Gélida em Fernandes Tomás' de Fat Freddy, por Ghuna X.

www.fatfreddy.bandcamp.com
www.ghunax.com

 

Autoria e outros dados (tags, etc)


'Morte Gélida em Fernandes Tomás' é o single de avanço do novo álbum dos Fat Freddy intitulado «Atirem o meu Cadáver para uma Valeta» e a ser lançado no início de Outono, pela Honeyound. O tema constitui a Parte II de uma narrativa de vida, que no álbum é completada por três capítulos mais. Esta viagem externa ao interior do ser humano, perscrutando os seus mais íntimos sentimentos e reacções, estrutura e enobrece a sonoridade de Pedro Guedes Ferreira e, pela primeira vez na história dos Fat Freddy, é exposta através das palavras de Pedro Espada.

www.fatfreddy.bandcamp.com
www.honeysound.com
 

Autoria e outros dados (tags, etc)

 

Autoria e outros dados (tags, etc)